Opinião: A imprensa virou a “Geni” de Neymar, Thiago Silva e cia

Padrão

O texto foi publicado no site onde eu trabalho, Torcedores.com, no dia 17 de novembro. Mas reproduzo aqui porque ainda acho uma reflexão pertinente.

Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

O refrão da música Geni e o Zepelim, do genial Chico Buarque, serve muito bem para o mimimi criado por Thiago Silva que agitou os bastidores da seleção brasileira.

LEIA MAIS:
Thiago Silva reclama de capitão Neymar, mas depois ironiza: “Estamos brigados”


Thiago Silva usou a imprensa neste domingo para manifestar a sua chateação por não ser mais o capitão da seleção brasileira. Citou Neymar e Dunga, reclamando não ter sido procurado por nenhum dos dois para explicar a mudança da braçadeira de capitão do time brasileiro.

Claro que o assunto ganhou uma repercussão grande e tumultuou o ambiente da seleção brasileira.

Um dia depois, o mesmo Thiago Silva falou para os jornalistas que estão em Viena cobrindo a seleção e justificou que tudo não passou de um mal entendido causado pela imprensa, que criou polêmica deturpando as suas declarações. Disse que procurou Neymar e Dunga, explicou tudo e acabou com o clima ruim. O zagueiro até postou uma foto no Instagram ironizando o fato.

Neymar falou em coletiva de imprensa e também seguiu a linha da crítica aos jornalistas. O atacante disse que sempre orienta os seus colegas a não prestar atenção no que sai na imprensa.

Claro que nós jornalistas, como qualquer tipo de profissionais, estamos sujeitos a erros. Mas nos culpar por seus próprios erros é uma saída cômoda, não? Thiago Silva deveria ter resolvido as suas mágoas internamente, e não via imprensa. Fez a besteira e, ao invés de admitir e pedir desculpas, transferiu a culpa para a Geni do futebol. Até quando isso vai acontecer?

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Anúncios

Opinião: faltam jogadores inteligentes no futebol brasileiro

Padrão
Getty Images

Getty Images

São vários os problemas que assolam o futebol brasileiro – e esse drama não é de hoje. Mas, como estamos numa época de ‘caça às bruxas’, vou dar a minha contribuição ao tema com a seguinte constatação: cada vez mais tenho a certeza de que faltam jogadores inteligentes no futebol brasileiro.

No último domingo, parei para assistir à Fluminense x Santos na TV. Comprovei uma sensação que já tinha: falta inteligência dentro dos gramados brasileiros. E o que quero dizer com isso? Faltam jogadores que leiam o jogo. Que usem o raciocínio para escapar da marcação adversária.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

Uma cena no jogo que me chamou atenção: o Fluminense do técnico Cristóvão Borges marcava com linhas bem definidas. O que faziam os jogadores de ataque do time de Oswaldo de Oliveira? Se escondiam entre as linhas. Poucas vezes vi alguém se aproximando para buscar a bola, ou fazer uma tabela. Raras vezes vi alguém se movimentando só para criar espaço.

Todos estão querendo reformar o futebol brasileiro depois do que aconteceu na fatídica semifinal da Copa no Maracanã. A Alemanha não deu somente uma aula ao Brasil de como criar uma estrutura vencedora no futebol naquele 7 a 1. Os jogadores alemães deram uma aula de como se movimentar em campo.

Os sete gols da Alemanha foram desenhados não somente por falhas da defesa brasileira, mas muito pela inteligência dos alemães, que faziam movimentações estratégicas em lances de jogo, ainda que fosse para nem encostar na bola. O jogador da seleção alemã sabia naquele jogo que, se deslocasse o marcador para o canto, poderia criar um buraco para seu companheiro atuar ali.

A entrevista de Neymar, o melhor jogador do futebol brasileiro na atualidade, foi simbólica para representar o nível do atraso dos brasileiros em relação aos alemães nesse aspecto. “Não sei de tática, não me preocupo com isso”, declarou ao programa Fantástico, da TV Globo.

O buraco é muito mais embaixo.

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Neymar decisivo e pênalti mandrake salvam estreia na Copa

Padrão

Neymar

A estreia do Brasil na Copa foi como muitos esperavam: sofrida, suada, difícil. E terminou com vitória da seleção brasileira com um pênalti mandrake sofrido por Fred e bem convertido por Neymar que, aliás, foi decisivo na partida.

Neymar não foi brilhante, mas estreou na Copa com o peso nas costas de ser a estrela da seleção brasileira no Mundial do Brasil, e não decepcionou. Fez dois gols para o Brasil e foi decisivo na vitória.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

O pênalti sofrido por Fred, a meu ver muito mal marcado, relembrou a estreia do Brasil e de Felipão na Copa de 2002. Naquele jogo contra a Turquia, o também centroavante Luizão simulou um pênalti e o árbitro caiu na sua conversa.

Claro que foi uma estreia. Se toda estreia por si só é difícil, imagina quando é em casa. E imagina para uma seleção que tem tanto peso da camisa como a brasileira. A tendência é que o Brasil deslanche contra o México. Mas erros como o do gol contra de Marcelo, em jogada que iniciou com falha de Daniel Alves, precisam ser corrigidos.

Crédito da foto: Vipcomm/Divulgação

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Santos ainda não aprendeu a viver sem Neymar, um ano depois

Padrão

Neymar-Santos_2823279-615x400

O Santos ainda não aprendeu a viver sem Neymar, um ano depois do jogo de sua despedida. O Peixe não conseguiu se reciclar depois da saída do seu principal jogador, no dia 26 de maio de 2013.

Para quem não se lembra, Neymar deixou o Santos longe da Vila Belmiro, num empate melancólico contra o Flamengo em jogo realizado no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O Santos era mandante naquele jogo, e escolheu jogar longe da Vila para arrecadar mais. A diretoria acertou o jogo antes de saber que seria o último jogo de Neymar.

Depois de Neymar, o que fez o Santos de relevante? Pouco, muito pouco. Ameaçou que encantaria o futebol brasileiro no início da disputa do Paulistão, mas fracassou ao perder a final para o Ituano. Antes, tinha feito um Campeonato Brasileiro muito mediano para as tradições do clube. Agora, ameaça fazer o mesmo na atual edição do Brasileiro.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

A diretoria do Santos foi ao mercado tentar trazer alguém que pudesse representar no campo o que Neymar representava. Leandro Damião, até agora, fracassou. Chegou para fazer gols, mas ainda não disse a que veio. E custou muito aos cofres do clube. Os jovens do Santos, que costumam salvar a pátria quando a fase está ruim, ainda sofrem com a oscilação: ora fazem jogos excelentes, ora decepcionam.

Fora do campo, a perda de desempenho após a saída de Neymar é mais gritante. O atacante da seleção brasileira ajudou a turbinar as receitas de marketing do Santos. Depois que saiu, o Santos sequer conseguiu arranjar um patrocinador master para o seu uniforme.

Claro que o Santos é muito maior que Neymar. A história está aí para dizer isso. O Santos vai voltar a vencer sem o último maior ídolo. Mas isso não exclui o fato de que o Peixe precisa aprender a encontrar o caminho das glórias sem Neymar. Em campo e fora dele.

Crédito da foto: Reprodução

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Neymar cometerá um erro se reatar com Marquezine antes da Copa

Padrão

neymarquezine-615x400

Neymar cometerá um erro se assumir namoro com Bruna Marquezine. Principalmente antes da Copa do Mundo. Na condição de principal esperança da seleção brasileira para a conquista do hexa da Copa do Mundo no Brasil, o atacante não precisa dar margem para ser cobrado em caso de insucesso no Mundial.

A imprensa especializada tem divulgado que Neymar está namorando às escondidas com Bruna Marquezine. O blog do Bruno Astuto chegou a divulgar que os dois teriam marcado uma data para voltar: dia 12 de junho, dia dos namorados e da estreia do Brasil na Copa do Mundo contra a Croácia, no Itaquerão. Se esta informação se concretizar, será um erro maior ainda da parte do jogador. Ou quem não garante que isso será uma estratégia para promover alguma empresa que patrocina os dois?

Neymar não precisa dar motivos como esse para que pensem que ele se importa mais com suas ações de marketing do que com o que realiza em campo.

O namoro com Bruna Marquezine, ao que tudo indica, já mexeu muito com a cabeça de Neymar. Para que correr o risco de alguma briga entre os dois mexer com a cabeça do jogador em pleno período de Copa do Mundo.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

Não sou contra Neymar voltar com Bruna Marquezine. E mesmo se fosse, isso não é problema meu. Eles são bem grandinhos para saber se devem ou não voltar ou até assumir que voltaram. A preocupação, como uma pessoa que quer que o Brasil seja campeão mundial mais uma vez, é que isso aconteça na Copa do Mundo. Quem me garante que esse namoro não pode influenciar na participação do camisa 10 da seleção brasileira no seu primeiro Mundial?

Espero estar errado, queimar minha língua, e poder ver Neymar ser a principal estrela do Brasil na Copa do Mundo.

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Crédito da foto: Arte/Torcedores.com

Filho de Neymar, Davi Lucca também gosta de jogar futebol…no gol!

Padrão

t_96857_neymar-e-messi-levaram-seus-filhos-davi-lucca-e-thiago-respectivamente-para-campo-antes-da-partida-615x400

Davi Lucca nem tem três anos completos, mas mostrou que assim como o pai famoso, gosta de jogar futebol. Mas diferentemente de Neymar, que faz sucesso pelos campos do mundo com a camisa do Barcelona, ele mostrou que tem talento para jogar no…gol!

Segundo um conhecido que frequentou por muito tempo a casa de Neymar, o craque do Barcelona em algumas oportunidades ficou jogando a bola para Davi Lucca jogar, e o filho mostrou desenvoltura no gol.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

“Com certeza meu filho não vai ser atacante, mas ele gosta de jogar bola”, disse Neymar em uma das ocasiões.

Se a previsão de Neymar se confirmar, e o gosto de Davi Lucca quando criança permanecer quando ele crescer, será grande a chance de o craque repetir o mesmo que aconteceu com Pelé e Edinho. Para quem não se lembra, o filho do Rei do futebol atuou com a camisa do Santos, mas como goleiro. Pena que sua passagem como jogador do Peixe não tenha tido nem um centésimo do sucesso do que teve a do seu pai.

E você, o que acha? Davi Lucca será goleiro quando crescer?

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Crédito da foto: Reprodução

Se a moda pega no futebol brasileiro…

Padrão

01mai2013--presidente-do-bayern-de-munique-uli-hoeness-observa-a-vitoria-de-sua-equipe-sobre-o-barcelona-no-camp-nou-1367439095052_615x300

O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, reconheceu nesta segunda que fraudou o fisco alemão em quase 20 milhões de euros durante anos.

O presidente do Barcelona, Sandro Rosell, teve que abandonar o cargo após as denúncias de fraude fiscal na contratação do atacante Neymar. E mesmo após esse ato, a diretoria do time catalão tem rebolado para se explicar sobre como procedeu na negociação.

Cabe aqui um parênteses: estamos falando de dois dos maiores clubes do mundo, que formaram times hegemônicos nos últimos tempos.

Leia mais:
Presidente do Bayern admite fraude fiscal no início de julgamento

Barcelona busca acordo fiscal no qual assumiria culpa no caso Neymar

Fica a inevitável pergunta: imagina se a moda pega no Brasil? Se a justiça brasileira fosse mais severa e descobrisse quem comanda os clubes nacionais e é fraudador nesta função?

Me arrisco a dizer que não sobraria ninguém para contar história…

Mas como tanto a justiça quanto os governos são coniventes, os nossos presidentes ainda encontram espaço para choramingar que é difícil comandar os clubes com tanta dívida para pagar.

Crédito da foto:

Em tempo:
Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Hoje Neymar faz ‘aniversário’ pelo Santos. Está lembrado?

Padrão

090307neymar

* Texto de minha autoria, originalmente publicado no blog efemérides do éfemello, do meu camarada Fernando Figueiredo Mello

Pouca gente pode ter percebido, mas hoje faz cinco anos de uma data muito especial para os santistas: o primeiro jogo de Neymar com a camisa profissional do clube.

Garoto franzino, de apenas 17 anos e cabelos raspados, Neymar virou uma esperança precoce de uma época de vacas magras para o torcedor santista, acostumado somente ao protagonismo estadual, depois das saídas de Robinho, Diego e Companhia. Quadro que mudaria em 2010, já com Neymar e Ganso no comando…

O técnico era Vagner Mancini. E o ataque naquele jogo, acreditem, tinha um só nome: Roni. O veterano que atuava de ponta foi improvisado como centroavante, tal a falta de opções da equipe.

O cenário era todo propício para a entrada de Neymar: um Pacaembu com mais de 20 mil pessoas, uma torcida ansiosa pela estreia do menino, que já valia milhões mesmo sem ter vestido o manto alvinegro profissional.

O time que entrou em campo naquela noite também colaborou, pois rendeu muito pouco e despertou a ira da torcida, incomodada com a falta de efetividade no ataque de um Santos escalado no 3-6-1.

Foi aí que Mancini resolveu usar as cartas que tinha e promoveu a entrada do garoto Neymar, aos 14 minutos do segundo tempo, no lugar do meia colombiano Molina. O Santos passou a atuar no 3-5-2. O menino prodígio incendiou a torcida e, consequentemente, o time.

Neymar mostrou a mesma personalidade que já havia demonstrado quando estreou na Copa São Paulo, um ano antes, dia 10 de janeiro. Participou da goleada por 5 a 1 sobre o modesto Barra do Garças-MT com duas assistências, mesmo entrando no segundo tempo. No lugar de um tal Paulo Henrique, que já vestia a 10 daquela equipe eliminada nas quartas de final da Copinha.

No Pacaembu, logo em um dos seus primeiros toques na bola, Neymar partiu para cima do adversário e cruzou. A bola caprichosamente bateu nas duas traves e não entrou. Foi o suficiente para encantar o torcedor santista.

O resultado do jogo – 2 a 1, gols de Roni e Madson -, válido pelo Campeonato Paulista, acabou sendo secundário, assim como o adversário da partida, o Oeste. O que valeu foi o pontapé inicial de uma trajetória que depois renderia uma Libertadores, uma Copa do Brasil, três Paulistas, milhões em marketing e uma admiração eterna…

Aquele garoto fadado a craque faria o primeiro gol com a camisa do Santos oito dias depois, no mesmo Pacaembu, contra o Mogi Mirim.

Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico

Crédito da foto: Folhapress

Em tempo:

Conheça o blog efemérides do éfemello. Porque todo dia é histórico

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Seleção brasileira faz bem para o Neymar

Padrão

s-1394048575303_615x300

Admito. Tinha preparado um post questionando o que estava acontecendo com o Neymar. Postagens tristes e o ‘inferno astral’ com os acontecimentos fora de campo no Barcelona me fizeram ter esse questionamento.

Mas tinha a seleção brasileira no meio do caminho. E atuar pelo Brasil, definitivamente, faz bem para o principal jogador do país na atualidade.

Desde que foi integrar o grupo que atuou contra a África do Sul, Neymar mudou o tom das postagens. Antes triste e enigmático, o atacante do Barcelona passou a mostrar alegria e descontração nas redes sociais.

E a mudança de postura foi traduzida em campo. Três dos cinco gols contra a África do Sul foram de Neymar. Já são 30 gols em 47 jogos. Messi e Cristiano Ronaldo demoraram muito mais para chegar nestes números com suas respectivas seleções, só para vocês terem uma ideia.

O Neymar da seleção não parece ligar para os problemas extracampo. Não se incomoda com seu pai sendo devassado pela receita, para a forma física pós-lesão ou para o fim de namoro com a atriz global Bruna Marquezine. Que continue assim. O torcedor brasileiro agradece.

Crédito: AFP PHOTO / MARCO LONGARI

Posts relacionados:

Neymar e Marquezine estavam no mundo do faz de conta

No ‘Neymargate’, o maior enganado é o torcedor

Santos briga com ídolos, mas não é o maior prejudicado

Relembre:

Comemoração de Neymar contra África do Sul foi homenagem. Sabe para quem?

Aniversário de Neymar já passou. Mas o inferno astral continua

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Santos briga com ídolos, mas não é o maior prejudicado

Padrão

neymar-e-robinho-fazem-a-festa-na-goleada-do-santos-sobre-o-naviraiense-1268274176225_615x300[1]

O desabafo de Neymar contra a diretoria do Santos nas redes sociais é a prova cabal de uma tendência que vem se reforçando a cada dia que passa: a gestão Laor/Odílio tem brigado com os maiores ídolos recentes da história do clube.

Posso soar repetitivo, mas nem Santos, nem os ídolos, são os maiores prejudicados. É o torcedor santista.

Neymar, Robinho, Elano, Léo, Zé Roberto, Fábio Costa e Ganso foram fundamentais para construir a história recentes de títulos do Santos, e fazer o clube voltar ao patamar de um dos maiores do país.

E todos eles, com mais ou menos intensidade, brigaram com a atual diretoria do Santos. Robinho foi até radical a ponto de dizer que não volta a vestir a camisa do clube enquanto esta gestão estiver no poder.

Não conheço os bastidores de cada uma das brigas, então não tenho como dizer quem está certo. Só que a extensa lista de nomes que brigaram com a diretoria me faz crer que algo tem que mudar na gestão do Santos.

Os ídolos ficam para a história, os dirigentes passam. A briga não é boa para ninguém.

Crédito: Ricardo Nogueira/Folha Imagem

Confira também no blog:
A palavra é dele: ex-santista diz que título brasileiro de 95 do Botafogo foi armado

Em tempo:
Acompanhe tudo sobre o Santos no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal