Opinião: faltam jogadores inteligentes no futebol brasileiro

Padrão
Getty Images

Getty Images

São vários os problemas que assolam o futebol brasileiro – e esse drama não é de hoje. Mas, como estamos numa época de ‘caça às bruxas’, vou dar a minha contribuição ao tema com a seguinte constatação: cada vez mais tenho a certeza de que faltam jogadores inteligentes no futebol brasileiro.

No último domingo, parei para assistir à Fluminense x Santos na TV. Comprovei uma sensação que já tinha: falta inteligência dentro dos gramados brasileiros. E o que quero dizer com isso? Faltam jogadores que leiam o jogo. Que usem o raciocínio para escapar da marcação adversária.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

Uma cena no jogo que me chamou atenção: o Fluminense do técnico Cristóvão Borges marcava com linhas bem definidas. O que faziam os jogadores de ataque do time de Oswaldo de Oliveira? Se escondiam entre as linhas. Poucas vezes vi alguém se aproximando para buscar a bola, ou fazer uma tabela. Raras vezes vi alguém se movimentando só para criar espaço.

Todos estão querendo reformar o futebol brasileiro depois do que aconteceu na fatídica semifinal da Copa no Maracanã. A Alemanha não deu somente uma aula ao Brasil de como criar uma estrutura vencedora no futebol naquele 7 a 1. Os jogadores alemães deram uma aula de como se movimentar em campo.

Os sete gols da Alemanha foram desenhados não somente por falhas da defesa brasileira, mas muito pela inteligência dos alemães, que faziam movimentações estratégicas em lances de jogo, ainda que fosse para nem encostar na bola. O jogador da seleção alemã sabia naquele jogo que, se deslocasse o marcador para o canto, poderia criar um buraco para seu companheiro atuar ali.

A entrevista de Neymar, o melhor jogador do futebol brasileiro na atualidade, foi simbólica para representar o nível do atraso dos brasileiros em relação aos alemães nesse aspecto. “Não sei de tática, não me preocupo com isso”, declarou ao programa Fantástico, da TV Globo.

O buraco é muito mais embaixo.

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Cansei do “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”

Padrão

Cansei do “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”. Não dá para ver uma torcida do meu país com tão pouco repertório na hora de torcer.

Não consigo acreditar como conseguimos causar tamanha emoção na hora do hino nacional, tanto aos jogadores da seleção brasileira quanto a quem acompanha as partidas da TV e, ao mesmo tempo, mostrar tanta falta de originalidade na hora de entoar cantos de apoio ao Brasil. Em alguns casos, nem esperamos o fim do primeiro tempo para vaiar, pois o Brasil não tem direito de jogar um tempo sequer mal, não é mesmo?

Os cantos temáticos são os que melhor empurram e que mais dão graça aos jogos. Mostram a criatividade de quem torce no estádio, e empolgam quem está em campo. Só para citar um exemplo: os argentinos nem bem chegaram na Copa e já criaram uma música criativa para nos provocar. E o que fizemos em troca? Xingamos Messi. Não criamos nada.

Acesse a página do blog do Renan Prates no Facebook

Aliás, somos bons em xingamentos. Não poupamos nem a presidenta da República, Dilma Rousseff, que foi na abertura da Copa e desistiu de ir em outros jogos com medo de ser xingada. Bacana, não? E a minha crítica seria a mesma se fosse Aécio Neves, Eduardo Campos e até FHC no lugar de Dilma no posto de comandante máximo da República.

Escrevo estas linhas aos 30min do segundo tempo, antes mesmo do fim do jogo entre Brasil e México. Tomara que tenhamos mais cinco partidas até o fim da Copa. Se isso acontecer, boa oportunidade para melhorarmos de postura, não?

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!