Quem será o próximo otário a contratar Adriano Imperador?

Padrão

adrianoimperador

Texto publicado originalmente no site Torcedores.com Seja um colaborador!

O jornalista Mário Magalhães fez no passado, em seu blog, uma indagação que me chamou muito atenção. Ele perguntou: quem será o próximo otário a contratar Vanderlei Luxemburgo? Na época, maio de 2013, o treinador tinha colecionado mais um fracasso na carreira ao ser demitido pelo Grêmio. Penso que a mesma pergunta pode ser feita para o exemplo de Adriano Imperador, que saiu recentemente do Atlético-PR: quem será o próximo otário a acreditar que pode regenerá-lo?

Adriano talvez seja um dos maiores desperdícios da história recente do futebol brasileiro. Um atacante com vários recursos que, no auge, seria titular de qualquer time no Brasil e até do ataque da seleção brasileira na próxima Copa do Mundo.

Infelizmente, esse tipo de avaliação só pode ser feita do Adriano do passado, campeão brasileiro com o Flamengo e conhecido como Imperador no futebol italiano. Já o Adriano do presente…

…o Adriano do presente teve uma passagem fracassada pelo Corinthians, que achou que poderia regenerá-lo. Ele chegou com pompas, cacifado por Ronaldo Fenômeno, e saiu pela porta dos fundos. Não são poucos os relatos de que o Imperador trocou o dia pela noite em sua passagem pelo Timão.

No Atlético-PR, Adriano já chegou descredenciado, e deu ainda mais munição para os críticos. Fez apenas um gol e saiu do time porque o presidente do time paranaense, Mário Petraglia, o julgou uma má influência para o restante do elenco. O desempenho dentro de campo foi fraco: apenas um gol marcado.

E o que esperar de Adriano no futuro? Nada. Não antes de ele se tratar, como já foi dito inúmeras vezes. O Imperador até postou fotos mostrando que está em boa forma e deu declarações querendo mostrar que tem mercado. Mas penso que Adriano deveria primeiro não se enganar e cuidar da sua saúde.

Crédito da foto: Reprodução/Instagram

Libertadores perde muita graça sem os paulistas

Padrão

06fev2014---rogerio-ceni-durante-jogo-entre-sao-paulo-e-paulista-no-morumbi-1391730879425_615x300

Certa vez, postei a seguinte frase no meu perfil pessoal do Facebook: Libertadores sem clubes paulistas é igual Buchecha sem Claudinho. A ideia da postagem era brincar com o fato de que o torneio continental perto muita graça sem os times de São Paulo.

É uma opinião bairrista? Pode até ser. Mas tenho motivos para embasar a minha ideia. Gostaria de reforçar que é meu ponto de vista e minha sensação. Respeito e entendo outros pontos divergentes do meu. O post é válido principalmente para fomentar o debate.

1 – Audiência: O site em que trabalho, que é um dos maiores de esporte do país, perdeu muita audiência com Libertadores neste ano. Ah, mas o público majoritário do porta é paulista, podem argumentar. Pode até ser. Mas não deixa de ser um indício. Ou estou errado?

2 – Títulos conquistados: Santos, São Paulo, Corinthians e Palmeiras ganharam, somados, oito dos 17 títulos brasileiros na história da Libertadores. Cruzeiro, Grêmio, Flamengo e Atlético-MG levaram seis taças. O Atlético-PR tem um vice. O Botafogo, nem na final chegou.

3 – Número de torcedores: Corinthians, São Paulo e Palmeiras estão entre as cinco maiores torcidas do Brasil. O Santos está no top 10. O Flamengo tem a maior torcida, mas Cruzeiro, Grêmio e Atlético-MG apenas figuram entre as dez maiores. Botafogo e Atlético-PR nem nisso chegam.

4 – Cobertura das TVs: Sem os clubes paulistas, a TV aberta passou a ignorar a transmissão no país todo dos brasileiros na Libertadores, focando apenas nas praças que possuem times na competição, como Porto Alegre, Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte. A cobertura majoritária dos jogos é da TV fechada.

5 – Protagonistas de peso em campo: Entre os representantes brasileiros na Libertadores, Ronaldinho Gaúcho reina absoluto como protagonista de peso na competição, ainda mais porque Adriano Imperador não decolou no Atlético-PR. Se tivessem os clubes paulistas, Ronaldinho ‘dividiria a função’ com nomes como Luis Fabiano, Rogério Ceni, Leandro Damião, Valdivia, entre outros.

6 – Desempenho sem empolgar: Os seis clubes brasileiros que estão na Libertadores até fazem boa campanha em seus grupos, com exceção ao Cruzeiro. Mas nenhum deles fez uma campanha que empolga até aqui. O que dá margem àqueles que acham que a presença dos paulistas elevaria o nivel técnico da competição.

* Post atualizado:

Crédito da foto: Junior Lago/UOL

Em tempo:

Acompanhe tudo sobre futebol no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Contra o imediatismo no futebol: adote esta causa

Padrão

20nov2013---ganso-comemora-com-a-torcida-do-sao-paulo-gol-sobre-a-ponte-preta-1384994972442_615x300[1]

Nesta semana, aconteceram dois fatos que me deixaram intrigado e chamaram a minha atenção para o óbvio: como somos imediatistas em algumas análises ligadas ao futebol. Por isso, lhe peço: adote esta causa contra este movimento.

Vamos descrever as situações. A primeira ocorreu com Paulo Henrique Ganso, que foi duramente criticado por muitos quando Muricy Ramalho o colocou no banco de reservas, e virou gênio para outros quando participou de dois gols da vitória do São Paulo sobre o XV de Piracicaba apenas três dias depois.

Ganso não é gênio, muito menos perna de pau. Tem uma inteligência e qualidade técnica acima da média dos demais, mas insiste ainda em dormir e demonstrar falta de vibração em alguns momentos importantes dos jogos que participa. Não deve ser crucificado, nem idolatrado. Deve sim ser elogiado e criticado quando for necessário.

O outro caso ocorreu com Adriano Imperador, que entrou no final de duas partidas do Atlético-PR na Libertadores. Na primeira, ficou oito minutos, nem tocou na bola, mas já foi questionado sobre seleção brasileira (?). Na segunda, foi colocado numa ‘fria’ pelo técnico, reclamou e o mundo caiu sob as suas costas por causa disso.

Adriano já tem experiência suficiente para saber que não deve externar desta forma algumas reações para não gerar crise nos times em que atua. Mas…ele estava errado? De que adiantava entrar naquela hora?

Sei que é chover no molhado falar que o Imperador motivado é atacante de seleção, mas não se deve criar expectativas em um jogador com o histórico de Adriano e que ficou tanto tempo parado. Deve-se sim acompanhar a sua evolução, cobrá-lo se houver recaídas e enaltecer o seu desempenho quando for necessário. Sem imediatismos.

Nós jornalistas, como formadores de opinião, às vezes não nos damos conta de como uma análise imediatista pode interferir no dia a dia de um clube e de um jogador, tanto para o bem, quanto para o mal. O oba-oba tem sempre que ficar com a torcida.

Relembre o post:
É preciso ter paciência nas análises sobre Ganso

Em tempo:
Acompanhe tudo sobre o Atlético-PR no UOL Esporte

Acompanhe tudo sobre o São Paulo no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Considerações sobre o Campeonato Brasileiro

Padrão

confusao

Uma semana depois, com mais calma, queria usar este espaço para fazer breves considerações sobre os clubes que disputaram o Campeonato Brasileiro deste ano.

Cruzeiro: surpreendeu ao ser campeão trocando boa parte do time que disputou a temporada passada, jogando por terra a teoria de que só vence quem mantém plantel de um ano para outro

Atlético-MG: seguiu a tendência dos outros clubes de que quem prioriza a Libertadores, nunca consegue ir bem no Brasileiro. Se tivesse mais fôlego, brigaria pelo título

Corinthians: talvez a maior decepção do campeonato. Fez um segundo turno melancólico, com direito a derrota vexatória para o Náutico na última rodada

São Paulo: com a reação no segundo turno, passou a impressão de que termina bem o ano. Mas a séria ameaça de rebaixamento tem de servir de exemplo para um 2014 melhor

Santos: foi o melhor dos paulistas com uma boa margem de pontos na frente mesmo sem Neymar, o que é não é pouco. Mas faltou experiência para desequilibrar nos momentos decisivos

Fluminense e Vasco: só deram motivos para envergonhar o torcedor. Mereceram o rebaixamento com a sucessão de erros durante a temporada

Flamengo: salvou a temporada com o título da Copa do Brasil, mas fez um Brasileirão muito fraco

Botafogo: praticou por um tempo o melhor futebol do Brasil, mas morreu fisicamente durante o campeonato e caiu muito de rendimento

Grêmio: admirável trabalho de Renato Gaúcho, que implementou o futebol feio, porém eficiente, que garantiu o time na Libertadores

Inter: terminar perto da zona de rebaixamento, com o elenco que tem, é um fiasco

Atlético-PR e Goiás: fizeram grandes campanhas mesmo com elencos limitados. Vagner Mancini e Enderson Moreira merecem muitos elogios

Palmeiras: ‘nadou de braçada’ na Série B e cumpriu o objetivo do acesso com méritos

E aí, concordam? Discordam? Quero a opinião de vocês!

Crédito: Alex de Jesus/O Tempo

Confira a página do Brasileirão no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Palpites do Pai Renan de Ogum: São Paulo passa para a final e Atlético-PR é campeão

Padrão

Muricy

Retomando os palpites do Pai Renan de Ogum, não vou fugir da raia e vou opinar sobre as duas partidas decisivas que se iniciam nesta quarta-feira pela Copa Sul-Americana e Copa do Brasil, que envolvem brasileiros.

Sem mais delongas, vamos lá:

São Paulo x Ponte Preta
São Paulo tem tudo para ganhar, e vai ganhar. A tendência é que seja sem sobressaltos, mas nunca se sabe, né? Também achei que o Vélez passaria fácil pela Ponte Preta…

Atlético-PR x Flamengo
Atlético-PR tem mais time, é mais estruturado e vai levar. A única chance do Flamengo é se prevalecer o fator torcida e o peso da camisa no segundo jogo.

E vocês, concordam comigo?

Opinem!

Crédito da foto: Julio Cesar Guimarães/UOL

Em tempo:
Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Se superar problemas internos, Fla tem chance única para salvar ano na Copa do Brasil

Padrão

Jayme

Desacreditado e seriamente ameaçado de rebaixamento após a saída do técnico Mano Menezes, o Flamengo cresceu tanto com o interino Jayme de Almeida que agora está numa situação aparentemente tranquila no Brasileirão e terá a chance única de salvar a temporada com o título da Copa do Brasil. Mas para atingir este objetivo, o time carioca terá que superar novamente seus problemas internos.

O clima no clube não é bom. Um dos principais nomes do futebol do Flamengo, Paulo Pelaipe quase agrediu um dos assessores de imprensa em uma discussão no último final de semana. Mesmo sabendo da situação financeira calamitosa do time carioca, os jogadores cobraram as premiações atrasadas no sábado passado. E tudo isso perto do primeiro jogo decisivo da semifinal contra o Goiás.

Dentro de campo, apesar da baixa do goleiro Felipe, o Flamengo tem tudo para avançar para a final. O Goiás tem um time bem montado, mas é nivelado com o rival carioca, que tem a seu favor o peso da camisa e de sua torcida.

Se passar pelo Goiás, o Flamengo terá pela frente Grêmio ou Atlético-PR, que estão desgastados por conciliar a Copa do Brasil com o Brasileirão. O que faz o time carioca, mesmo tecnicamente inferior, equilibrar uma hipotética decisão com uma destas equipes.

Se for campeão da Copa do Brasil, o Flamengo salva o ano para se esquecer com um título de importância e, de quebra, se garante na Libertadores, o que significa um importante aumento nas receitas do clube. Se souber controlar o ímpeto de Walter e transformar as provocações do rival goiano em motivação, o time rubro-negro certamente se garante na próxima fase.

Para não perder o costume, faço um palpite, acho que a final será entre Flamengo e Grêmio, dois times de muita tradição no cenário nacional. Ao contrário do seu histórico diz, neste ano a Copa do Brasil não terá surpresas. Quem vencerá? Bom, aí já é tema para outro post.

Crédito da foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem

Em tempo:
Acompanhe tudo sobre o Flamengo no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Briga de título brasileiro mais chata desde 2007

Padrão

Borges

Uma constatação: que briga chata pelo título brasileiro de 2013!

O Cruzeiro mostrou que realmente deve ser o campeão ao vencer com muita propriedade ao fazer 4 a 0 na Portuguesa. E a diferença para o vice-líder Grêmio, que também ganhou na rodada (1 a 0 sobre o Atlético-PR), é de ONZE pontos, faltando 13 rodadas para o fim da competição e 39 pontos a serem disputados.

Ou seja: é a briga de título mais enfadonha do Brasileirão desde 2007. Naquele ano, o São Paulo de Muricy Ramalho tinha 54 pontos contra 45 do Cruzeiro (neste ano, a diferença é de 56 para 45).

O Botafogo, que por muito tempo mostrou que brigaria pelo título brasileiro com o Cruzeiro, está despencando a cada rodada que passa. Se não ficar esperto, pode dar uma de Palmeiras-2009 e conseguir perder até a vaga para a Libertadores do ano que vem!

O Cruzeiro faz por merecer o título até aqui. Joga o melhor futebol do campeonato. Tem disparado o melhor ataque e conseguiu também a segunda melhor defesa. Conseguiu até aqui impressionantes 34 gols de saldo.

A diretoria contratou bem, o que fez o Cruzeiro ter elenco suficiente para se manter competitivo mesmo com desfalques. A eliminação na Copa do Brasil veio em boa hora, pois o clube agora somente concentrará suas forças no Nacional. Se não bobear MUITO, o time mineiro será campeão até com algumas rodadas de antecedência.

Crédito da foto: Washington Alves/Textual

Em tempo:
Confira a classificação atualizada do Brasileirão

Acompanhe tudo sobre o Cruzeiro no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Momento Pai Renan de Ogum: meus palpites para as quartas da Copa do Brasil

Padrão

Renato

No dia 18 deste mês, disse que teria um dia de Mãe Dinah e palpitaria sobre o Campeonato Brasileiro. Meu amigo Celso Paiva disse que preferia Pai Renan de Ogum, então vou obedecê-lo neste post semelhante sobre os palpites para a Copa do Brasil, que terá a disputa das quartas de final a partir desta quarta-feira.

Sem mais delongas, seguem meus prognósticos:

Corinthians x Grêmio: Acredito que será um duelo extremamente equilibrado, com dois empates e definição nos pênaltis ou no saldo de gols. Como não gosto de ficar em cima do muro, acho que dá Grêmio.

Inter x Atlético-PR: Jogo duríssimo para o Inter, que ganhará em casa e perderá fora. Definição do vencedor sairá no saldo de gols. Acho que dá Atlético-PR.

Goiás x Vasco: Goiás tem mais time que o Vasco e está melhor montado. O clube carioca tem que priorizar o Brasileirão, onde briga contra a zona de rebaixamento. Acho que dá Goiás, mas não será fácil.

Botafogo x Flamengo: Dois clubes estão em baixa e devem priorizar o Brasileirão por motivos diferentes. Mas mesmo com um time misto, o Botafogo é muito superior ao Flamengo e deve levar a melhor.

E você, concorda com os meus palpites? Dê a sua opinião!

Crédito da foto: Jefferson Bernardes/Preview.com

Em tempo:
Acompanhe tudo sobre a Copa do Brasil no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal