Veja o passo a passo de como colaborar com a campanha para a publicação do livro “20 jogos eternos do Santos”

Padrão

Durante os primeiros 30 dias da campanha para conseguir os R$ 13.300,00 necessários para a publicação do livro “20 jogos eternos do Santos”, recebemos relatos de pessoas que não conseguiram realizar a ajuda pelo site do nosso parceiro Abaca$hi. Por isso, resolvi fazer esse manual.

O link para contribuir é esse.

Veja o passo a passo

Primeiro passo – Clique na opção contribuir em verde

Em duas áreas no site (acima e no rodapé), existe a opção de clicar em contribuir para ajudar com a campanha.

Veja a reprodução da imagem de cima

primeiropasso

Veja a reprodução da imagem do rodapé

primeiropasso2

Segundo passo: Faça um cadastro no site do Abaca$hi

segundopasso

Para poder contribuir com o projeto, é necessário que você tenha um cadastro no site do Abaca$hi. Esse cadastro pode ser feito de três formas: facebook, google e email/senha. Os casos do facebook e do google são mais simples, porque, se você já estiver logado nos dois, com um clique você faz o seu cadastro no abacashi.com.

Terceiro passo: escolha o valor para contribuir

terceiropasso

Neste passo, você escolhe o valor com que deseja contribuir. O Abaca$hi cobra uma taxa de 30 centavos por transação. Você pode escolher se quer ou não divulgar o valor doado e se quer ou não revelar a sua identidade. Dependendo do valor da sua contribuição, você tem direito a uma contrapartida diferente, de acordo com as contrapartidas abaixo.

R$ 1 a R$ 35 – sem contrapartida

R$ 36 a R$ 66 – 1 exemplar do livro “20 jogos eternos do Santos”

R$ 67 a R$ 88 – 2 livros com desconto – presente para um amigo santista!

R$ 89 a R$ 98 – 1 livro + nome nos agradecimentos

R$ 99 – 2 livros + nome nos agradecimentos

acima de R$ 99 – ganha número proporcional de livros ao valor de cada unidade + nome nos agradecimentos (exemplo: se contribuir com R$ 360, tem direito a 10 livros).

R$ 2.200 – Patrocinador: tenha o logo da sua empresa no livro e ganhe 10 exemplares
Quarto passo – Escolha o tipo de pagamento

Você pode pagar de duas formas: boleto bancário e cartão de crédito. Fique tranquilo que é uma transação segura.

Se você escolher a opção do boleto, tem o prazo de dois dias para pagar. Se por um acaso esquecer e deixar o prazo passar, emita um novo boleto. Fique tranquilo que o boleto anterior será automaticamente cancelado.

Quinto passo – Espere a confirmação do pagamento

Se você chegou neste passo, é porque efetuou todo o processo corretamente. A confirmação de que o pagamento foi efetuado e você ajudou a campanha irá no seu email de cadastro no Abaca$hi.

Dúvidas neste processo? Envie um email para renanprates@gmail.com

Anúncios

Opinião: Mesmo com erros, LAOR foi um dos melhores da história do Santos

Padrão

Mesmo com todos os erros, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, o LAOR se despede desta vida como um dos maiores presidentes da história do Santos.

Para mim, o maior dos erros dele foi ter se deslumbrado depois do título da Libertadores. Se sentiu imbatível, e se afundou na soberba. Ele também foi mal duas vezes em assuntos relacionados a Neymar: em 2010, não deveria ter demitido Dorival Junior. Em 2011, foi protagonista da estranha carta em que autorizou o jogador a ir pro Barcelona antes da final do Mundial de clubes. Nos deixou sem contar a história completa do que aconteceu.

Parenteses feito, também é preciso reconhecer que LAOR levou o Santos a outro patamar. Fez o torcedor se acostumar a pelo menos um título por ano. Ajudou a resgatar a grandeza do Santos. Manteve Neymar por um tempo muito maior que o esperado.

Achei triste ele ter morrido praticamente no ostracismo. Nesta ânsia de querermos crucificar alguém, ele entra para a história mais como vilão do que como alguém que tornou o Santos melhor, o que a meu ver é uma pecha injusta.

Descanse em paz, LAOR. Que Deus conforte a família

Neymar não tem noção do papel que representa no futebol brasileiro. Mas a culpa não é dele

Padrão

A pergunta do repórter Silvio Barsetti a Neymar, se ele era um jogador que tinha comprometimento com a seleção brasileira roubou a cena na coletiva de imprensa desta terça-feira. A resposta do melhor jogador do Brasil nos últimos cinco anos mostra que ele não tem noção do papel que representa. Mas ele é o menor dos culpados por isso.

“Você tem que me cobrar em campo, mas tenho minha vida particular, tenho 24 anos, tenho minhas conquistas, minhas coisas, e sou muito tranquilo quanto a isso. Tenho meus erros, não sou perfeito”, disparou Neymar ao repórter.

“Eu tenho amigos, tenho família, por que não posso ir para a balada? Eu posso, eu vou, e não vejo problema nenhum, é minha vida particular. Dentro de campo eu sempre me entrego, tento fazer meu melhor, acabo errando, como errei muitas vezes e ainda vou errar. É normal para um ser humano. Estou aprendendo cada vez mais com meninos mais novos do que eu”, complementou.

Neymar está certo e errado na sua resposta. Está certo porque ele tem o direito de ir para onde bem entender, desde que se dedique em campo. E está errado ao não entender o papel que um jogador de sua envergadura representa. Ao não entender que, mesmo com 24 anos, ele precisa dar exemplo. Ao não entender que vivemos em uma era dominada pelas redes sociais, em que cada passo das celebridades é monitorado. Em que qualquer ser humano ‘comum’ pode aproveitar o fato de estar ao lado de um boleiro para capitalizar em cima disso. Em que, principalmente, as imagens e as chamadas de impacto valem muito mais do que entender o contexto de cada acontecimento.

Não é o “ir para a balada” que incomoda. É a mensagem que Neymar passa ao optar por se divertir na época em que o Brasil passava por uma crise dentro de campo. Quer queira ou não, o atacante é um dos líderes da seleção brasileira. Ao escolher se divertir, passa a mensagem de que não está preocupado com um momento do futebol brasileiro.

Neymar enfrenta o mesmo problema que Ronaldo Fenômeno enfrentou no auge do sucesso. Neymar deve ser autêntico e dizer sempre o que pensa? Ou deve cumprir o papel que lhe foi imposto? Ronaldo ‘resolveu’ este problema sendo duas pessoas – uma na frente das câmeras e outra quando elas não estão ligadas.

O atacante da seleção brasileira, por sua vez, parece ainda ter escolhido a primeira opção – visto o que disse na coletiva desta terça e o desabafo que deu nas redes sociais contra os críticos que detonaram o Brasil após o fiasco da Copa América.

Neymar, aliás, deu mostras de que, quando o assunto é futebol, só costuma se importar com o que faz dentro de campo – mais nada. Vale lembrar desta frase que concedeu ao apresentador Jô Soares quando foi entrevistado por ele: “Eu não gosto de ver jogo de futebol. Ou eu jogo, ou não assisto”.

A resposta de Neymar, a meu ver, é emblemática. Simboliza uma geração que não “sente” mais o jogo. Não se abala tanto quando seu time perde como no passado. Não se preocupa em ver se o rival está jogando melhor ou pior. Só quer jogar.

Cabe ressaltar que Neymar foi muito bem pela coragem em enfrentar a (boa) pergunta espinhosa e, principalmente, por ser sincero na resposta.

Quando digo que Neymar é o menor dos culpados, é porque ele nunca achou que ganharia o dinheiro que já ganhou, ou que teria a fama que tem. Muito do que foi dado a ele foi porque o atacante é o produto perfeito do mundo do marketing. É o personagem ideal do mercado que premia quem gera dinheiro.

“Se você tivesse 24 anos, tivesse tudo que eu ganhei e tudo que eu tenho, você seria o mesmo? Só isso que te pergunto”, finalizou Neymar.

E você, seria o mesmo? De quem é a culpa?

Texto originalmente publicado no Torcedores.com

Tite, Roberto de Andrade, a demagogia e os torcedores que sempre ficam como “trouxas”

Padrão

O episódio que culminou na troca do técnico Tite, do Corinthians, pela seleção brasileira, a meu ver, só comprovou o que eu já pensava: o mundo do futebol é cercado de “faz de conta” e de demagogia. No final, quem cumpre o papel de trouxa é sempre o torcedor.

Por que o torcedor cumpre o papel de trouxa? Porque, geralmente movido pela paixão, ele acredita nas pessoas que comandam e/ou cumprem papeis importantes no mundo do futebol.

“Pode-se dizer que o Corinthians está rompido com a CBF”, vociferou Roberto de Andrade, presidente do Corinthians na coletiva de imprensa nesta quarta-feira, claramente incomodado com a saída do treinador responsável pelos anos mais gloriosos na recente história do Timão.

Boa parte da torcida provavelmente irá se inflamar com a fala do presidente e bradará aos quatro cantos para os amigos que torcem para outro time: “meu time é rompido com a CBF”, o que hoje é sinônimo de orgulho, visto os problemas com a Justiça que enfrentam os principais comandantes da entidade e a imagem cada vez mais arranhada da mesma perante a opinião pública. Mas…quanto tempo este rompimento vai durar? Vale lembrar que Andrés Sanchez, um dos principais líderes do Corinthians, já declarou guerra a Del Nero mais de uma vez. E Roberto de Andrade votou em Coronel Nunes, aliado de Del Nero, para a presidência da CBF. Na palavra de quem podemos acreditar?

Tite também teria que se explicar, já que, em um passado não tão muito distante, assinou um manifesto pedindo a renúncia do presidente Marco Polo del Nero da CBF — mandatário que foi o responsável pela sua contratação para comandar a seleção brasileira. Como trabalhar ao lado de uma pessoa que você queria que estivesse fora da entidade? O torcedor — corintiano principalmente — acreditava que, enquanto Del Nero fosse presidente, Titenão pisaria lá. E foi enganado. Veja bem: Tite tem o direito de fazer a escolha que bem entender, e se for usar os problemas jurídicos de quem comanda o futebol como justificativa para não trabalhar em um lugar A ou B, provavelmente estaria desempregado. Não é este o “x” da questão, mas sim como a opinião das pessoas no futebol pode ser moldada em pouco tempo.

Tite deu coletiva como técnico da seleção brasileira, como esperado, ao lado de Del Nero, que teria de se explicar o motivo de ter demorado dois anos para escolhê-lo como treinador, sendo que Tite estava livre no mercado e ele optou por Dunga, mas não o fez.

Del Nero teria que dizer o porquê de ter escolhido alguém que critica a sua gestão. Quando pensei em escrever este texto, apostei que ele provavelmente ressaltaria as inegáveis qualidades de Tite como treinador, que era qualificado “desde 2014”, mas foi escolhido somente agora”.

O que Del Nero não disse (e não dirá) é que a escolha por Tite é para que ele tenha o escudo necessário no futebol para ter tranquilidade para se defender das acusações na Justiça. Afinal de contas, se o Brasil fracassar nas eliminatórias, ele pode virar para a opinião pública e dizer: escolhi o técnico que vocês queriam, não?

Tite, a minha desilusão com o futebol não é de hoje

Antes de começar a exercer o jornalismo esportivo, eu torcia muito para o meu time de futebol (Santos), ia em estádio, ficava realmente triste com as derrotas. Depois de conhecer mais de perto este mundo de “faz de conta”, de reiteradas mentiras e frases demagogas, torço bem menos.

Por quê? Porque me achava um torcedor trouxa. Daqueles que acreditava na palavra de todos que fazem parte deste mundo futebolístico. Você também se acha assim? Faz todo sentido.

Texto adaptado da publicação que fiz no Torcedores.com. Veja aqui

Opinião: Malandragem patética de Luis Fabiano e Centurión foi um desserviço ao futebol

Padrão

Os são-paulinos que me desculpem, mas Luis Fabiano e Centurión protagonizaram uma malandragem patética na vitória desta quarta contra o Corinthians que foi um desserviço ao futebol.

Futebol não é teatro. É lugar para jogo de contato, não de simulações. Se acha malandro? Então pelo menos tente fazer algo que não seja tão descaradamente simulado, como foi o caso de Luis Fabiano e Centurión no jogo desta quarta.

Luis Fabiano, na melhor das hipóteses, foi acertado por Mendoza na mão. E colocou a mão no rosto, se contorcendo no chão, como se tivesse levado um tapa. Sandro Meira Ricci, que teve uma atuação muito fraca no clássico, lhe deu o segundo amarelo, em um dos poucos acertos que teve na partida.

Centurión talvez não tenha visto o que realmente aconteceu com Luis Fabiano porque não estava perto na jogada. Mas conseguiu a proeza de repetir o erro do colega são-paulino ao levar um tranco de Elias e se jogar no chão como se tivesse sido agredido no rosto. Patético! A sorte dele foi que o árbitro pipocou e decidiu resolver o caso na conversa.

Claro que Sheik também teve um lance de malandragem que não leva a nada e prejudicou o Corinthians com sua expulsão idiota. Seu exemplo não é igual ao de Centurión e Luis Fabiano por não se tratar se uma simulação, mas também é um desserviço ao futebol.

Por que é um desserviço ao futebol? Porque não acrescenta nada. Porque reforça a imagem de que os nossos jogadores se preocupam mais em enganar o árbitro do que jogar bola. No caso de Luis Fabiano, ainda prejudicou o São Paulo, porque foi expulso por ter tomado anteriormente cartão amarelo em um lance bobo. O camisa 9 tinha tudo para sair como herói da partida, mas sua expulsão o relegou ao esquecimento entre os destaques do jogo.

Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Dracena rescinde na sexta e ficará livre para acertar com Corinthians

Padrão

O zagueiro Edu Dracena está prestes a deixar o Santos. A reportagem do Torcedores.com apurou que o capitão rescindirá contrato na sexta e ficará livre para acertar com o Corinthians.

Dracena e seu empresário, Renato Abonízio, se reuniram na última segunda-feira com a diretoria do Santos para tratar dos detalhes finais da sua rescisão. Por um pedido do jogador, ficou combinado que sua saída seria concretizada nesta sexta.

O Santos vê na saída de Edu Dracena uma boa possibilidade de economizar dinheiro, pois o clube enfrenta uma grave crise financeira e o zagueiro ganha R$ 300 mil por mês, o que daria uma economia anual de R$ 3,6 milhões aos cofres do clube. As lesões sérias que o jogador de 33 anos sofreu na carreira também pesam contra.

Já Dracena ficou incomodado com o atraso de salários do Santos. A volta de ex-jogador Léo, seu desafeto, também pesa para a saída do jogador, que faz questão de não sair pela porta dos fundos pela história que construiu no Peixe.

O Corinthians aguarda o desfecho da negociação entre Santos e Edu Dracena para contratar o jogador sem custos. O estafe do Timão está confiante em um acerto com o atleta.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do Santos, que se limitou a dizer que “até o momento, o zagueiro segue com suas atividades com o restante do elenco na pré-temporada”.

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Opinião: Torcedor, cuidado! Estão falindo o Corinthians

Padrão

Torcedor, cuidado! Estão falindo o Corinthians! A atual diretoria e o candidato da situação agem de uma forma irresponsável com as finanças do clube.

Duvida? Então faça uma pequena ronda no que os colegas da imprensa tem publicado:

Matéria de Dassler Marques, do UOL:
Para pagar Elias, Gobbi comprometeu contrato do Corinthians até 2017
Meu comentário: Valeu a pena pagar mais de R$ 10 milhões pelo Elias? E comprometer o orçamento do clube?

Matéria de Bruno Andrade e Felipe Bolguese, do Lancenet
Pubalgia fará Cristian iniciar 2015 no Timão com trabalhos especiais
Meu comentário: Cristian custará R$ 400 mil por mês e não joga desde agosto.

Matéria de Marcel Rizzo, no Painel FC da Folha
Em 2015, Corinthians terá de pagar R$ 100 milhões por primeira parcela do Itaquerão
Meu comentário: O estádio, que tinha tudo para dar lucro, até agora só dá dor de cabeça.

Post do Martin Fernandez, do blog Bastidores FC do Globoesporte.com
Corinthians pega dinheiro emprestado com Carlos Leite para pagar 13º
Meu comentário: Corinthians devendo favor para empresário. Inadmissível.

Post do Martin Fernandez, do blog Bastidores FC do Globoesporte.com
Corinthians deve seis meses de direito de imagem para Mano Menezes
Meu comentário: Lembrem-se que o Mano não ganhava pouco.

Poderia citar mais exemplos, mas fico nesses cinco por enquanto.

Como dá para perceber, o Corinthians paga por graves problemas financeiros. E parece não se importar com isso, pois está perto de pagar R$ 13 milhões por Dudu e está no páreo para contratar Conca, que ganha R$ 750 mil por mês no Fluminense.

E é por isso que o futebol brasileiro caminha cada vez mais para o retrocesso. Não aprendemos nada mesmo com o 7 a 1 da Copa do Mundo.

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Opinião: Quem é Dudu? O novo Pelé?

Padrão

Quem é Dudu? O novo Pelé? Esta é a pergunta que me faço ao ver dois gigantes como Corinthians e São Paulo brigando por um jogador que nem é realidade no futebol brasileiro.

Como bem disse o amigo Giovane Martineli, Dudu custa caro (cerca de R$ 13 milhões) e tem valor de revenda reduzido para o mercado europeu, já que ele não teve uma passagem boa pelo Dinamo de Kiev. Se levarmos em conta a pindaíba financeira em que os clubes se encontram, faço a pergunta: vale a pena gastar esse dinheiro para contratá-lo?

Dudu fez uma boa temporada pelo Grêmio no ano passado, mas mesmo assim marcou apenas três gols. Repito a pergunta: vale a pena gastar esse dinheiro para contratá-lo?

Passa ano após ano e eu não consigo tirar da minha cabeça a seguinte certeza: os clubes brasileiros sempre se movimentam MUITO para contratar os jogadores errados. Revelam atletas capazes, mas seus técnicos preferem contratar jogadores de fora por julgarem que os pratas da casa não estão preparados.

GOL DA ALEMANHA!

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Opinião: A imprensa virou a “Geni” de Neymar, Thiago Silva e cia

Padrão

O texto foi publicado no site onde eu trabalho, Torcedores.com, no dia 17 de novembro. Mas reproduzo aqui porque ainda acho uma reflexão pertinente.

Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

O refrão da música Geni e o Zepelim, do genial Chico Buarque, serve muito bem para o mimimi criado por Thiago Silva que agitou os bastidores da seleção brasileira.

LEIA MAIS:
Thiago Silva reclama de capitão Neymar, mas depois ironiza: “Estamos brigados”


Thiago Silva usou a imprensa neste domingo para manifestar a sua chateação por não ser mais o capitão da seleção brasileira. Citou Neymar e Dunga, reclamando não ter sido procurado por nenhum dos dois para explicar a mudança da braçadeira de capitão do time brasileiro.

Claro que o assunto ganhou uma repercussão grande e tumultuou o ambiente da seleção brasileira.

Um dia depois, o mesmo Thiago Silva falou para os jornalistas que estão em Viena cobrindo a seleção e justificou que tudo não passou de um mal entendido causado pela imprensa, que criou polêmica deturpando as suas declarações. Disse que procurou Neymar e Dunga, explicou tudo e acabou com o clima ruim. O zagueiro até postou uma foto no Instagram ironizando o fato.

Neymar falou em coletiva de imprensa e também seguiu a linha da crítica aos jornalistas. O atacante disse que sempre orienta os seus colegas a não prestar atenção no que sai na imprensa.

Claro que nós jornalistas, como qualquer tipo de profissionais, estamos sujeitos a erros. Mas nos culpar por seus próprios erros é uma saída cômoda, não? Thiago Silva deveria ter resolvido as suas mágoas internamente, e não via imprensa. Fez a besteira e, ao invés de admitir e pedir desculpas, transferiu a culpa para a Geni do futebol. Até quando isso vai acontecer?

Crédito da foto: Getty Images

Texto originalmente publicado no site Torcedores.com. Seja um colaborador!

Opinião: Renovação de Ceni ratifica show de erros da Penalty

Padrão

O goleiro Rogério Ceni vai ficar até o final da Libertadores de 2015 no São Paulo. E o ‘dia do fico’ do capitão são-paulino ratificou o show de erros da Penalty durante o episódio.

O primeiro dos erros aconteceu no último dia 19, quando a Penalty convidou os jornalistas para participar do “anúncio da despedida de Rogério Ceni”, fato que irritou extremamente o goleiro e a diretoria do São Paulo.

Depois, a Penalty permitiu (deliberadamente ou não) o vazamento da camisa de despedida do Rogério Ceni. Era um cartaz com o goleiro posando com a camisa e o seguinte anúncio: “Última camisa 01 do São Paulo. A última camisa do M1to”.

Aí, o que aconteceu??? O São Paulo confirmou que Rogério Ceni não vai se aposentar. Fica até agosto de 2015, com a possibilidade de renovar por mais tempo.

Como fica a Penalty nessa história? Com a imagem arranhada. E provavelmente sem ser fornecedora de material esportivo do São Paulo em 2015. Tudo por erros banais do seu departamento de marketing.

Crédito da foto: Getty Images