Temos parcela de culpa no atraso dos técnicos do país

Padrão

17nov2013---tecnico-do-sao-paulo-muricy-ramalho-da-instrucoes-para-o-time-durante-a-partida-contra-o-fluminense-1384719758875_615x300[1]

Uma semana atrás, o grande Tostão, em sua coluna na Folha de S. Paulo, escreveu algo que me chamou atenção. Vou reproduzir o que ele ponderou na íntegra:

“Os comentaristas gostam de elogiar a maneira de jogar dos times europeus, com dois volantes que marcam e apoiam, alternadamente, com um meia de cada lado, que ataca e defende, e outro mais centralizado e próximo do centroavante. Quando Oswaldo de Oliveira faz o mesmo no Santos, os mesmos entendidos, como Nelson Rodrigues gostava de chamar os analistas, falam que o time fica muito ofensivo e que só pode jogar desta maneira contra os pequenos”.

Concordo com a argumentação de Tostão e chego na seguinte conclusão: reclamamos do atraso dos técnicos no Brasil, mas temos parcela de culpa no problema.

Afinal de contas, se o técnico escala reservas, aqui no Brasil, isto é interpretado como time misto e um risco para o campeonato. Se vem da Europa, vira “estratégia correta para prevenção de lesões”.

O Audax, do técnico Fernando Diniz, se destacou no Paulistão por propor um estilo de jogo de toque de bola, em que até o goleiro tem uma participação efetiva nesta estratégia. Mas muitos de nós, da opinião pública, qualificamos o esquema como “suicida”. Se viesse de uma potência europeia, seria “inovador”.

Será que isso faz parte de algum complexo de nossa parte? A grama de lá SEMPRE é mais bonita do que a de cá?

Não sou advogado dos técnicos brasileiros, nem acho que os mesmos estão em atualizados em relação aos europeus. A breve carreira de Pep Guardiola é um bom exemplo de que ainda existe um abismo entre a excelência dos treinadores daqui se comparada com a excelência dos treinadores de lá. O que proponho neste espaço, por meio de uma provocação, é fazermos uma reflexão: será que não tem nenhum trabalho dos profissionais daqui que possa ser elogiado?

Ao não reconhecermos quem sai do lugar comum, colaboramos para que o futebol do Brasil continue na mesmice enfadonha que sempre acabamos criticando. Será que não está na hora de revermos alguns conceitos?

Crédito da foto: Julio Cesar Guimarães/UOL

Em tempo:

Acompanhe tudo sobre futebol no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Anúncios

2 comentários sobre “Temos parcela de culpa no atraso dos técnicos do país

  1. José Renato Fernandes

    A maior prova de que você está certo: Adilson Batista é injustiçado. Seus maus resultados se devem justamente ao linchamento que ele recebe em cada clube em pouco tempo de trabalho.

Gostou do texto? Achou ruim? Dê sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s