Dorival Jr precisa saber gerenciar a sua carreira e aprender a dizer não

Padrão

Jayme

Quando o Fluminense optou por demitir Vanderlei Luxemburgo faltando apenas cinco rodadas para o fim do Brasileirão e com o time na zona de rebaixamento, o questionamento na mídia especializada era o mesmo: quem vai ser o louco de aceitar uma situação como essas? Pois Dorival Júnior aceitou. E é este o maior problema do treinador: ele não sabe dizer não para as oportunidades de trabalho que recebe.

Dorival começou a ganhar notoriedade com a boa campanha que fez no comando do São Caetano, que lhe rendeu o vice-campeonato paulista de 2007. Ele está marcado na memória do torcedor vascaíno ao comandar a reestruturação da equipe e a volta para a Série A em 2009.

Mas foi no Santos, em 2010, que Dorival se consagrou. Ele teve o privilégio de comandar craques como Neymar, Ganso e Robinho. Com um futebol extremamente ofensivo, foi campeão paulista e da Copa do Brasil, e só teve o seu trabalho interrompido por entrar em rota de colisão com Neymar.

Daí pra frente, começou a sequência de erros do treinador. Dorival cometeu o desatino de sair de um clube num dia, assumir outro time no seguinte, sem tempo de descansar, de se reciclar, de poder assistir a um jogo de futebol como um mero espectador/admirador do esporte. E esse foi um dos motivos que fizeram o técnico cair de produção.

Este ano, aconteceu o auge do erro de gerenciamento de carreira. O Fluminense é o terceiro time carioca que Dorival Júnior comandará só nesta temporada, pois antes já tinha fracassado com Flamengo e Vasco. Qual é a chance deste trabalho, de menos de um mês de duração, dar certo? E se der, que garantias o técnico tem de que continuará no ano que vem?

Dorival começa a correr o risco enorme de virar um técnico como Carlos Alberto Torres ou Emerson Leão, que são chamados apenas quando os clubes precisam de um bombeiro. Com 51 anos e capacidade já comprovada, ele poderia estar em um estágio muito melhor no cenário do futebol nacional. Mas a sua vontade de trabalhar sempre pode fazer com que ele receba cada vez menos convites de trabalho.

Crédito da foto: Julio Cesar Guimarães/UOL

Em tempo:
Acompanhe tudo sobre o Fluminense no UOL Esporte

Veja a lista das matérias que fiz pelo UOL na minha página pessoal

Anúncios

Gostou do texto? Achou ruim? Dê sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s